Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2010

TRANSTRONO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO COM HIPERATIVIDADE (TDAH)

O QUE É O TDAH? O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Ele é chamado às vezes de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). Em inglês, também é chamado de ADD, ADHD ou de AD/HD. Existe mesmo o TDAH? Ele é reconhecido oficialmente por vários países e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em alguns países, como nos Estados Unidos, portadores de TDAH são protegidos pela lei quanto a receberem tratamento diferenciado na escola. Não existe controvérsia sobre a existência do TDAH? Não, nenhuma. Existe inclusive um Consenso Internacional publicado pelos mais renomados médicos e psicólogos de todo o mundo a este respeito. Consenso é uma publicação científica realizada após extensos debates entre pesquisadores de todo o mundo, incluindo aqueles que não pertencem

DISLEXIA

A dislexia é um transtorno genético e hereditário presente em aproximadamente 10% da população mundial, podendo também ser causada pela produção exacerbada de testosterona pela mãe, durante a gestação. Muitas vezes confundida com déficit de atenção, problemas psicológicos, ou mesmo preguiça; esse transtorno se caracteriza pela dificuldade do indivíduo em decodificar símbolos, ler, escrever, soletrar, compreender um texto, reconhecer fonemas, exercer tarefas relacionadas à coordenação motora; e pelo hábito de trocar, inverter, omitir ou acrescentar letras/palavras ao escrever. Indivíduos disléxicos possuem a área lateral-direita do cérebro mais desenvolvida que a de pessoas que não possuem esta síndrome, tendo geralmente, por tal motivo, mais facilidade em questões relacionadas à criatividade, solução de problemas, mecânica e esportes. Levando em consideração o despreparo que muitas instituições de ensino têm em relação às particularidades dos alunos - muitas vezes, inclusive, cri

A INFLUÊNCIA DA RELAÇÃO ALUNO/PROFESSOR NO PROCESSO DE APREDIZAGEM.

A INFLUÊNCIA DA RELAÇÃO ALUNO/PROFESSOR NO PROCESSO DE APREDIZAGEM. [1] Benjamim da Silva Amorim [2] “A abordagem centrada na pessoa aplicada na escola pode contribuir para a melhoria da relação professor/aluno, confirmando a influência desta relação no processo de aprendizagem”.                                                                                                                                                                                                                                                      RESUMO Este trabalho é um estudo bibliográfico que visa conhecer as contribuições da Aprendizagem Centrada no Aluno a respeito da relação professor/aluno, tendo como fundamentação teórica a Abordagem Centrada na Pessoa. A principal contribuição deste trabalho se dá pela escassez de bibliografia que contemple, ao mesmo tempo, o conceito de “Aprendizagem Centrada no Aluno” e relação professor/aluno. O objetivo, então, é apresentar aos profissionais da área da educaçã

PLANTÃO PSICOLÓGICO

PLANTÃO PSICOLÓGICO NA ESCOLA [1] MÁRCIA SEVERINO DA SILVA SALEZE RESUMO                         O plantão psicológico é uma modalidade de atendimento baseada em conjunto de atitudes ao abordar as dificuldades de natureza emocional desenvolvida pela Abordagem Centrada na Pessoa em suas múltiplas aplicações. A Abordagem Centrada na Pessoa foi desenvolvida pelo psicólogo americano Carl Ransom Rogers, e quando aplicada ao ambiente escolar coloca o aluno como centro do processo. O Plantão Psicológico centra-se no cliente proporcionando uma escuta atenciosa e profunda, a quem necessita de um atendimento emergencial, através de um único encontro com o profissional. Aplicado a Educação ressalta o aluno como uma pessoa, com potencial para crescer com consciência de si e da realidade, é um espaço para pessoas, mais do que para seus problemas. A presença do plantão na escola ajuda os professores a reconhecer a pessoa do aluno com quem eles interagem em sala de aula. A aplicação do plantão p

LIBERDADE PARA APRENDER

LIBERDADE PARA APRENDER * Benjamim da Silva Amorim                                                **Márcia Severina silva saleze “ O direito ao aprendizado não pode ser privilégio de alguns”. Quando falo em direito de aprender não me refiro apenas ao direito que cada pessoa como cidadão tem de freqüentar uma escola. Refiro-me também e principalmente ao direito desta pessoa ter acesso às informações que irão de encontro as suas necessidades. Segundo Carl Rogers psicólogo americano, criador da teoria centrada na pessoa, a principal preocupação de qualquer educador, deveria ser o de facilitar o aprendizado de algo que tenha a ver com as necessidades do aluno ao invés de impor-lhe ensinamentos, que, exatamente por não estar de acordo com estas necessidades o sujeito não terá o menor interesse em aprender. Este autor transportou para a educação toda sua experiência adquirida em psicoterapia, na qual empregava os conceitos que privilegiam o saber que cada ser humano tem de si mesmo. A psic

PSICOLOGIA HOSPITALAR

PROPOSTA PARA ATENDIMENTO PSICOTERÁPICO EM HOSPITAL Nossa proposta de atendimento hospitalar é de praticar uma psicoterapia baseada em   experiência de atendimento psicoterápico na linha humanista, mais especificamente utilizando a Abordagem Centrada na Pessoa. Esta abordagem foi criada pelo psicólogo e professor norte-americano, Carl Rogers. O atendimento dentro desta abordagem, parte do princípio de que todo ser humano é dotado de possibilidades. Isto é, possui capacidade de se atualizar constantemente, bastando para isto ser criado condições adequadas. A psicoterapia rogeriana coloca no centro da atenção a pessoa e não a patologia, daí a denominação Psicoterapia Centrada na Pessoa. Além de valorizar as potencialidades da pessoa, o terapeuta centrado no cliente terá que apresentar algumas características próprias que facilita uma relação de confiança entre cliente e terapeuta, que são: aceitação incondicional, que é aceitar a pessoa como ela é. Compreensão empática que consiste em c

PROPOSTA PARA ATENDIMENTO PSICOTERÁPICO

  Nossa proposta de atendimento hospitalar é de praticar uma psicoterapia baseada em experiência de atendimento psicoterápico na linha humanista, mais especificamente utilizando a Abordagem Centrada na Pessoa. Esta abordagem foi criada pelo psicólogo e professor norte-americano, Carl Rogers. O atendimento dentro desta abordagem, parte do princípio de que todo ser humano é dotado de possibilidades. Isto é, possui capacidade de se atualizar constantemente, bastando para isto ser criado condições adequadas. A psicoterapia rogeriana coloca no centro da atenção a pessoa e não a patologia, daí a denominação Psicoterapia Centrada na Pessoa. Além de valorizar as potencialidades da pessoa, o terapeuta centrado no cliente terá que apresentar algumas características próprias que facilita uma relação de confiança entre cliente e terapeuta, que são: aceitação incondicional, que é aceitar a pessoa como ela é. Compreensão empática que consiste em compreender o cliente, vendo os fatos a partir do pont