Postagens

Mostrando postagens de Setembro 13, 2013

QUANDO A MEDICAÇÃO PODE SER BENÉFICA.

Imagem
No exercício da atividade psicoterápica, muitas vezes nos depararmos com o questionamento sobre a escolha entre medicação e psicoterapia. Não são raros os casos onde a escolha pode ser pela utilização de ambas. A medicação visa sempre restabelecer um equilíbrio no nosso corpo, que pode beneficiar a psicoterapia. t Quando temos dores e tomamos analgésicos, a finalidade é aliviar o sintoma e não a causa. Se não corrermos atrás da causa da dor, estaremos sempre recorrendo a essa medicação.  No campo da psicologia, podemos fazer um paralelo: se a pessoa se encontra deprimido/a, a medicação pode ser um bom estabilizador, mas, a situação que causou a depressão não é alterada com a medicação. As causas são variadas: dificuldade no relacionamento interpessoal, pensamentos negativos, demasiada concentração nos problemas alheios e não nos nossos, dificuldade em perceber e estabelecer limites perante os outros ou fraco controle de impulsos. A medicação pode ser importante sim para con