Postagens

Mostrando postagens de Setembro 14, 2020

Covid 19 - Esperança

  “Grande parte das pessoas no mundo estará vacinada contra o coronavírus na primavera”, defende António Damásio AGO 31, 2020 em   NOTÍCIAS A esperança ficou no ar quando, António Damásio, neurocientista português, diretor na Universidade do Sul da Califórnia, falou da tão esperada vacina nestes tempos de pandemia. Na última sessão da edição virtual da conferência sobre gestão de recursos humanos da ABRH Brasil, o tema era A Estranha Ordem das Coisas, aliás o título do seu último livro publicado: A Estranha Ordem das Coisas: A vida, os Sentimentos e as Culturas Humanas, cuja edição portuguesa foi lançada em 2017. O autor galardoado com o Prémio de Vida e Obra na Gala da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), falou das maravilhas da inteligência humana e dos afetos. A vida, na sua perspetiva, é admirável pelo facto de os seres humanos poderem ser artistas, escreverem, fazerem arquitetura, desenvolverem tecnologia e filosofia. E porque é que nós conseguimos fazer o espetáculo da vida, qu

Recursos Humanos

  “O gestor de RH deve dar atenção aos sinais faciais das pessoas”, aconselha António Damásio. O papel do gestor de Recursos Humanos é prestar atenção aos sinais faciais das pessoas se quer compreender a razão dos seus comportamentos. Hoje, mais do que nunca, numa altura em que “as pessoas estão com carência afetiva como se costuma dizer” – para usar a terminologia do neurocientista António Damásio no fecho da edição virtual da conferência sobre recursos humanos da ABRH Brasil, que decorreu esta semana. “O gestor deve prestar atenção aos sinais que aparecem no rosto dos empregados”, diz o investigador português a viver nos EUA, exemplificando: “sinais no rosto humano de desconforto afetivo, de tristeza, de zanga. Na sua opinião, se o líder apenas prestar atenção àquilo que os elementos da sua equipa dizem intelectualmente não consegue compreender o comportamento humano porque estará a perder as motivações, as razões pelas quais essa pessoa se comporta de determinada maneira. “Nem apena