O VENENO DA SERPENTE

 O VENENO DA SERPENTE


Um homem estava acampando numa floresta com sua esposa. A mulher resolveu ficar na cabana, enquanto o homem adentrou na mata visando explorar melhor o local. Era uma selva vasta e densa, com uma flora variada e muitos animais.


Em dado momento, o homem já cansado de caminhar, resolveu sentar-se alguns minutos embaixo de uma imensa árvore. De repente, sentiu uma forte picada em sua perna. O homem pulou de susto e viu uma cobra fugindo pelos arbustos. O homem olhou para o local da picada e viu que havia uma mordida profunda em sua pele. Lembrou-se do formato da cobra e percebeu que, de fato, era uma espécie venenosa.


O homem ficou preocupado, mas ao mesmo tempo lhe veio uma intensa raiva da serpente. Decidiu que iria procura-la até que a encontrasse, para mata-la, e depois retornaria ao acampamento para tomar o antídoto. Movido por intensa raiva pelo animal que destruiu sua viagem e pôs sua vida em risco, o homem embrenhou-se em mato bravio buscando resquícios da serpente.


Passados 5 minutos, ele começou a sentir-se fraco e percebeu que o veneno estava fazendo efeito muito rapidamente, mais do que esperava. Lembrou-se então de ter lido numa enciclopédia que naquela região existe uma espécie rara de serpente cujo veneno é capaz de matar um ser humano em apenas 10 ou 15 minutos. O homem, bem enfraquecido, resolveu retornar ao acampamento. Assim que chegou, estava quase se arrastando no chão e pediu a esposa o soro antiofídico. A esposa, muito preocupada, foi velozmente procurar a substância, mas já era tarde… O homem morreu, ali mesmo, vítima de um veneno rápido e letal. A esposa caiu de joelhos e ficou muito transtornada, chorando sobre o corpo do marido.


A maioria das pessoas que foram maltratadas por outras pensam e agem tal como esse homem. Primeiro elas querem se vingar daqueles que as fizeram mal, para somente depois deter-se em cuidar do “veneno” das feridas que está dentro delas. No entanto, é preferível cuidar das feridas interiores ao invés de ficar se preocupando em vingar-se de nosso algoz. Caso contrário, o veneno do ódio, da mágoa, do trauma, da dor e do desconsolo pode, muito rapidamente, nos adoecer e devastar nossa vida interior.


Por isso, não se importe com a “cobra” que te picou, deixe ela de lado… Cuide apenas do “veneno” das emoções negativas que ficaram dentro de você e que, em breve, podem matar a sua alma.


(Hugo Lapa)


SE GOSTOU, DIGA GOSTEI

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conselho de pai!

PSICOLOGIA HOSPITALAR

“TENDÊNCIA ATUALIZANTE” (potencialidade)