CORONAVÍRUS – NÃO PAGUE PARA VER



To trancado aqui no quarto
De pijama porque tem visita estranha na sala
Aí eu pego e passo a vista no jornal.
Raul Seixas.

Não sei de qual visita o nosso saudoso Raul Seixas estava falando. Contudo a considerar o que dizem os jornais sobre o que vem acontecendo no nosso Planeta, começando pela China, devemos, a exemplo do maior roqueiro brasileiro, colocar nossas “barbas de molho”. Não dá para fingir que nada está acontecendo, que está tudo bem. Se não vejamos: China, 80.000 casos, Itália, 24.000747 casos, Espanha 7.700 casos, França, 4.500 casos só para citar os países mais atingidos. Sendo um patógeno com predominância pelo sistema respiratório, cujas patologias, cuja frequência ocorre no inverno, facilita a compreensão do porque deste alastramento alarmante. Fico imaginando quando a estação fria se aproximar no hemisfério sul. Se no hemisfério norte, onde os países são considerados desenvolvidos, o vírus está causando este pandemônio, imagine o que não acontecerá no outro hemisfério, onde a imensa maioria dos países é considerada de médio a baixo desenvolvimento.

Em época de grande influência das redes sociais, era de se esperar a utilização deste recurso para pelo menos, conscientizar as populações sobre os riscos de se contaminar com este “bichinho” danoso para a saúde, especialmente para as pessoas de alto risco, como idosos e portadores de patologias crônicas.

Já assistimos políticos das mais diversas ideologias se vangloriando de terem sidos eleitos graças ao poder destes meios de comunicação, o que temos de admitir, ser fato. Como sabemos, contra fatos, não há argumentos. As redes sociais estão com tudo e não estão “prosa”! Brincadeiras a parte, bem que os lideres, os formadores de opinião,  poderiam utilizar as redes sociais para advertirem seus seguidores sobre os riscos de não se protegerem, a exemplo do que fizeram para angariarem votos que os elegeram.

Está na hora dos chamados homens público, que tanto se gabam de querer o melhor para suas populações, dar o exemplo. Ao invés de desdenhar o “CORONAVÍRUS”, como fizeram alguns, abrir o jogo e mostrar a gravidade de situação.

Independente da crença de cada um, não é possível conceber alguém, e alguns até bem preparados academicamente, num momento destes, não se preocupar com o que possa vir a acontecer. Tenho visto textos citando passagens bíblicas para justificar o injustificável. Se a bíblia fala sobre estas tragédias, não quer dizer que não devemos nos preocupar. Pelo contrário, é um alerta para que fiquemos atentos. Há também aquelas teorias, que suspeitam de jogadas econômicas de algum governante desalmado para levar vantagem comercial. Também nestes casos, não quer dizer que a situação é menos grave. Há também aqueles que querem disseminar suas teorias sobre esta a ou aquela área da saúde e bem-estar. Como vemos há uma série de opiniões para justificar este caos, contudo, nenhuma delas diminui a gravidade da situação.

Sem querer ser alarmista, mas apenas ser realista, fico a imaginar, e com a experiência de quem já conviveu com um ente querido portador de asma. Para quem nunca passou por esta experiência, imagine alguém tentando respirar e não conseguindo. É assim quem sofre de asma. Dá a impressão, e sem nenhum exagero, que a pessoa vai subir nas paredes, para tentar respirar. Pelo que vejo nos vídeos ou nas fotos de pacientes com aqueles respiradores nas UTIs, parece-me situações bem semelhantes.

Portanto, antes de fazer qualquer comparação entre esta ou aquela opinião, ou também emitir a sua sobre o tema, lembre-se: em toda e qualquer família há sempre alguém, a quem se tem muita consideração, que faz parte dos grupos de risco, para o “COVID 19”. Um pai, uma mãe, um avô, uma avó, um tio, uma tia ou até mesmo uma “sogra”! Mesmo se esse não for o seu caso, previna-se. Para aqueles que convivem com outras pessoas, proteja-se, a si e às pessoas a quem você ama! , “NÃO PAGUE PARA VER”!

 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Conselho de pai!

PSICOLOGIA HOSPITALAR

“TENDÊNCIA ATUALIZANTE” (potencialidade)